Apóstolas
Clelia Merloni
Coração de Jesus
Província - PR
Vice-Província
Educação
Saúde
Pastoral
Ação Social
Vocacional
Triunfo
GFASC
Links
Localização
WebSisterZu
Página Inicial
 
Serviços
Capela Virtual
Arquivos
Calendário
Cartões
Fotos
Informativos
Mensagens
Mural
Notícias
Enquete
WebMail
Coração de Jesus






Invocações ao Coração de Jesus


    Ladainhas são formas curtas de preces, invocações que foram sendo recolhidas e sistematizadas ao longo do tempo. São orações feitas geralmente em dois coros, em que contemplamos algum mistério de nossa Salvação; clamamos a ajuda ou intercessão de Maria Virgem, dos santos, dos anjos, exaltamos as virtudes de Cristo. Ladainhas podem ser rezadas em grupo ou como oração pessoal.

    A ladainha do Sagrado Coração de Jesus proclama, em 33 invocações, este amor humano-divino – o “Coração Transpassado".

    Os comentários sobre esta ladainha foram elaborados por Ir. Ofélia de Carvalho, ASCJ. É um complemento para a compreensão da teologia do Sagrado Coração.
1- Coração de Jesus, Filho do Pai eterno, tende piedade de nós!
Jesus, o Filho Amado, vem ensinar-nos a conhecer e amar o Pai. Jesus assumiu a nossa natureza humana. Sendo Deus, fez-se homem; aceitou um coração que lhe pulsasse no peito. O amor divino do Pai e do Filho assumiu o tamanho das necessidades humanas, com um coração tão próximo e tão semelhante ao nosso que o levou a convidar-nos: “Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração”.
A natureza divino-humana de Jesus forma uma união inseparável. Jesus é o Filho Eterno do Pai. Seu Coração é Divino e Humano.
2- Coração de Jesus, formado pelo Espírito Santo no seio da Virgem Mãe, tende piedade de nós!

Deus Pai, em sua infinita ternura, encarregou o Espírito Santo de formar o Coração de Jesus, e torná-Lo símbolo do infinito amor de Deus por nós e o mais perfeito receptáculo do amor de Deus Pai.
Foi por obra do Espírito Santo que Maria Virgem Imaculada concebeu o Filho de Deus. Com a sua natureza humana, Jesus pôde realizar a obra da nossa salvação. Sua vitória sobre a morte confirma seu poder divino de Filho de Deus, da mesma natureza do Pai.
3- Coração de Jesus, unido substancialmente ao Verbo de Deus, tende piedade de nós!
Em Jesus Cristo, o Filho de Deus, há duas naturezas: A divina e a humana. São duas naturezas completas. Nele está a natureza humana com a vontade humana, as faculdades, os sentidos; também a natureza Divina com sua infinita força, poder, justiça, misericórdia e sabedoria. É o próprio Verbo, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro. Jesus Cristo é consubstancial ao Pai.
4- Coração de Jesus de majestade infinita, tende piedade de nós!
Na Transfiguração no Monte Tabor Jesus revela sua “Majestade Divina” e a sua realeza. Os apóstolos, Pedro, Tiago e João O reconhecem na voz do Pai e na beleza indescritível de seu rosto resplandecente de luz; na beleza de sua pessoa, de suas vestes que se tornaram brancas como a neve e exclamam: Mestre, Tu és o Filho de Deus; Tu és o Rei de Israel. (João, 1-49).
A Majestade do Coração de Jesus revela-se em sua mais profunda e aparente derrota. No momento em que seus inimigos proclamavam vitória porque o Mestre incômodo havia dado o último suspiro, ouve-se a voz de um pagão: “Na verdade este homem era justo. (Lc. 23,47)
5- Coração de Jesus, Templo Santo de Deus,tende piedade de nós No Antigo Testamento, o centro do culto a Deus era o Templo de Jerusalém. No Novo Testamento, é o Sacrário ou Tabernáculo, onde se guardam as Espécies Sagradas, a Eucaristia, ou o Santíssimo Sacramento. Jesus é o templo do Deus Vivo, o Tabernáculo do Altíssimo. No seu Coração, o Pai é glorificado por todo e sempre; o próprio Cristo o diz: “Glorifiquei-Te sobre a terra” (João 17,4).
6- Coração de Jesus, Tabernáculo do Altíssimo, tende piedade de nós
No Antigo Testamento, o centro do culto a Deus era o Templo de Jerusalém. No Novo Testamento, é o Sacrário ou Tabernáculo, onde se guardam as Espécies Sagradas, a Eucaristia, ou o Santíssimo Sacramento. Jesus é o templo do Deus Vivo, o Tabernáculo do Altíssimo. No seu Coração, o Pai é glorificado por todo e sempre; o próprio Cristo o diz: “Glorifiquei-Te sobre a terra” (João 17,4).
7- Coração de Jesus Casa de Deus e Porta do Céu, tende piedade de nós!
O mundo é um imenso caminho, onde somos todos peregrinos. Um dia, mais cedo ou mais tarde, teremos que deixar o invólucro do nosso corpo mortal, para entrar na vida definitiva. Em cada coração dorme o anseio de uma vida sem fim.
Jesus é a Porta do Céu. E como portas devem ser abertas, ei-Lo, apresentando-nos o seu Coração sempre aberto pela lança. Esta é a porta para a felicidade eterna.
8- Coração de Jesus, Fornalha ardente de Caridade, tende piedade de nós!
Na ardente fornalha da caridade sem margens do Coração de Jesus está a fonte que sacia todas as sedes de amor e todas as fomes que torturam as almas. Nele está a resposta aos gritos dos desiludidos, dos abandonados e dos desesperados, porque Jesus assumiu todas as nossas desilusões e desesperanças, para dar-nos em troca a sua caridade, a sua infinita e terna caridade
9- Coração de Jesus, Receptáculo de Justiça e de Amor, tende piedade de nós!
Cada coração humano é chamado a bater ao ritmo da justiça e do amor. Por ele se mede a verdadeira dignidade do ser humano. O Coração de Jesus bate ao ritmo da justiça e do amor, conforme a própria medida divina. Ele é o Coração do Homem-Deus e Nele se realiza plenamente toda a justiça de Deus em relação ao homem e a justiça do homem em relação a Deus. Essa justiça é o dom do Amor que, através do Coração de Jesus, entra na história da humanidade como um amor subsistente: Deus amou tanto o mundo que lhe deu seu Filho Único (Jo3, 16).
10- Coração de Jesus, cheio de Bondade e de Amor, tende piedade de nós!
O Coração de Jesus é “fornalha ardente de caridade”, pois possui alguma coisa da natureza do fogo, que arde e se consome para iluminar e aquecer. A plenitude da caridade de Cristo manifestou-se pelos gestos de bondade para com os necessitados: os pobres, os marginalizados os excluídos...
11- Coração de Jesus, abismo de todas as virtudes, tende piedade de nós!
Quando paramos para observar crianças que brincam, percebemos que elas já manifestam reações e comportamentos de bondade ou não. Algumas são mandonas, tirânicas, invejosas, egoístas, fofoqueiras e orgulhosas... Isto prova que fomos marcados pelo pecado original e que o exercício da virtude deve ser iniciado no berço.
Contemplamos Jesus como modelo de todas as virtudes. Ele é o Filho Santo; três vezes Santo, ou seja, perfeito. Seu coração é um abismo de virtudes. Abismo, como símbolo de profundidade e infinitude. A nascente condutora da qual jorram as virtudes do Coração de Jesus, é a sua obediência à vontade do Pai.

Continua na página 2


Versão para impressão
Conteúdo visualizado 12.584 vezes.
Última atualização em 11/05/2012.
Copyright © 2007 - Instituto das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por: MDR Informática - projetos web sob medida